História da Gravata

Vamos aprender sobre a história da gravata.

No guarda-roupa de todo Homem elegante têm algumas ótimas opções de gravatas. Hoje, são muitas as opções disponíveis nas lojas: gravata slim, gravata xadrez, gravata borboleta, gravatas lisas, gravatas estampadas, gravatas clássicas, etc. Tem gravata para todo tipo de gosto. Mas, como foi o surgimento ou criação dessa peça que não pode faltar nos guarda-roupas masculinos? Vamos conhecer…

A gravata foi inventada na França, no final do século XVII. A peça era uma adaptação de um elemento do vestuário masculino do exército da Croácia.

Os franceses se inspiraram numa espécie de cachecol masculino para criar a gravata em 1668. O adereço conquistou grande popularidade e logo passou a ser fabricado em linha ou renda.

A gravata começou a ser usada com um nó no centro, e duas pontas longas soltas no peito. A peça (gravata) recebeu o nome de cravate, tradução de croata em francês.

História da Gravata - Luiz XIVA gravata ganhou o mundo no século XX, quando passou a ser usada em diversas formas e cores. A peça virou moda e passou a fazer parte do look de grandes nomes da história, tendo sido, inclusive, usada pelo rei Luis XIV (Rei da França e Navarra).

A gravata moderna, que conhecemos nos dias de hoje, surgiu em 1860. Na segunda metade do XIX, a gravata passou a ser fabricada em escala industrial.

Em 1926, Jesse Langsdorf, de Nova Iorque, passou a cortar a gravata num tecido em diagonal e em três partes. Em seguida, a peça passou a ser parte fundamental dos acessórios de empresários e homens da alta sociedade.

Essa é a História da Gravata!